Saúde de Arauá continua na UTI

30/03/2014 22:49

Recentemente foram feitas reportagens sobre a saúde do município de Arauá. Nas entrevistas a prefeita dona Ana falou que no município não tinha problemas nesta área. Principalmente depois da chegada do médico Cubano e da médica Cubana que fazem parte do projeto do governo federal lançado pela presidenta Dilma o Mais Médicos.

De fato agora existe uma melhor assistência por termos dois médicos residentes e pelo perfil de cada um principalmente pela visão humanitária. Mas o tratamento dado a eles ainda deixam a desejar principalmente por não terem um espaço próprio para morar conforme estabelece o projeto do Mais Médico e não dispor de um computador que é essencial para o seu trabalho e para uso pessoal.

Entendemos que a saúde do município não deveria está resumida a só este tipo de atendimento. Existem várias outras ações que dependem exclusivamente da ação da secretaria de saúde do município de Arauá e pelas constantes reclamações e denúncias nada mudou se não fosse esse projeto do governo federal com certeza a situação seria de abandono total.

Desde novembro que foi suspenso o tratamento de fisioterapia e até hoje ninguém dar uma explicação sobre o retorno ou não do tratamento, infelizmente os pacientes que sabem da importância e necessitam do tratamento estão tendo de se deslocar para outro município e pagando do seu suado salário o transporte para locomoção. A falta do médico é por falta de pagamento, ou seja, além de não pagar ao médico ainda penaliza a população carente que precisa da assistência.

A falta de administração do hospital de Arauá é tanta que chegou um cidadão dizendo que tinha vindo para consertar o ar condicionado entrou no consultório e sumiu com o aparelho que é patrimônio público.

A farmácia desde a primeira gestão que nunca teve remédios suficientes para os pacientes, ao serem medicados e irem à farmácia para pegarem os medicamentos controlados de pressão ou mesmo uma insulina que é vital para os diabéticos, recebem um sonoro não tem. Pasme todos! E o pior, é a falta de seringa, tem paciente utilizando a mesma seringa por três ou mais vezes por não ter condição de comprar o suficiente para o uso adequado. Essas seringas tinham que ser distribuídas gratuitamente aos pacientes.

Existe uma equipe de saúde da família sem médico.

As ambulâncias se tivessem fiscalização não poderiam mais transportar pacientes, estão todas sucateadas. Até o telefone dos motoristas para agilizarem as emergências foi cortado.

Existem atendimentos sendo feitos em escolas sem as mínimas condições de higiene e privacidade para os pacientes. Esses povoados deveria ter um posto de saúde.

A academia da família não tem equipamentos. Onde existe, na área externa é em local extremamente inadequado por ser um local aberto. A areia fica exposta a necessidade de animais e quem sabe até dos seres humanos já que a área é aberta. Inclusive existe uma fossa nesta área com certeza contaminação é o que não falta. Coitado dos nossos idosos.

No povoado Camboatá existe um posto abandonado no meio do mato que já deveria está pronto a muito tempo e nesta comunidade existe um vereador, que não cumpre com o papel pelo qual foi eleito, fiscalizar e cobrar.

O plano de carreira dos servidores está sendo empurrado com a barriga, ou seja, para que funcionários valorizados, a cada ano o prejuízo para os servidores aumenta, ou seja, quem ganha um salário mínimo vai se aposentar com um salário mínimo se tivesse o plano, o salário seria bem maior a depender das vantagens do plano de carreira.

Pelo visto a incompetência administrativa é do tamanho dos problemas, a saúde de Arauá está igual a um paciente em estado terminal. É lamentável.

Por Arimatéa Carlos

Posto de Saúde do Povoado

Camboatá abandonado.


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!