População de Arauá continua refém da maginalidade

15/01/2014 10:13

Desde a primeira gestão da prefeita D. Ana até hoje que a população de Arauá clama por segurança, os roubos virou rotina tanto nos povoados como também na sede do município.

Recentemente os marginais interceptaram um ônibus que transportava os moradores do povoado Casa Caiada que vinham para a feira na sede do município e fizeram uma verdadeira limpeza em todos os ocupantes do ônibus, desde o dinheiro a objetos pessoas.

Os roubos aos transeuntes, casas comerciais a exemplo de uma mercearia que já foi roubada mais de 19 vezes e agora a invasão nas residências mesmo no período diurno estar deixando a população apavorada, as reclamações são constantes mas até agora não vimos uma ação concreta para inibir ou acabar com este estado de caos que foi estalado em nosso município. 

A população precisa de tranquilidade é dever do estado  e do município garantir segurança, saúde de qualidade e educação para o povo, que no período eleitoral são enganados com falsas promessas de empregos, ajudas e o famoso pão e circo das tradicionais festas que tem como propósito camuflar a incompetência administrativa.

Veja o que disse o delegado de Monte Alegre Jorge Eduardo em um trecho de sua entrevista que foi reproduzida na integra após o texto abaixo:

O delegado ressaltou, ainda, que os índices positivos de redução de homicídios estão intimamente ligados a uma política de tolerância zero com a criminalidade.Combatemos com rigor todos os tipos de crime, desde uma simples alteração no cano de descarga de uma motocicleta até os crimes mais graves como roubo, furto e homicídios”, explicou o delegado. 

 

LEIA A BAIXO UM EXEMPLO A SER SEGUIDO PARA REDUÇÃO DA CRIMINALIDADE.

(Por Arimatéa Carlos)

Monte Alegre completa 366 dias sem registros de homicídios

 

Foto: Arquivo Ascom/SSP_Allan de Carvalho

O Centro Integrado de Segurança Pública (Cisp) de Monte Alegre, unidade que congrega as Polícias Civil e Militar no mesmo prédio, divulgou nesta terça-feira, 14, dados estatísticos sobre o crime de homicídios no município. Segundo as estatísticas, nesta quarta-feira a cidade completou 366 dias sem o registro de homicídios.
 

Se levar em conta os últimos os anos de 2012 e 2013, Monte Alegre registrou um crime no dia 13 de janeiro do ano passado. De acordo com o delegado Jorge Eduardo, os números são extremamente positivos e devem ser comemorados pelas forças de segurança e pela população. Para mudar o histórico do município, que tinha altos registros de criminalidade no passado, a polícia atuou forte reforçando ações preventivas e repressivas.
 

Delegado Jorge Eduardo

Segundo Jorge Eduardo, no ano de 2010, Monte Alegre registrou cinco homicídios, chegando a oito no ano de 2011. “2012 foi um ano sensacional para a segurança pública porque não contabilizamos nenhum homicídio na cidade, fato que ficou marcado devido aquele ano ter tido eleições municipais, que sempre foram muito conturbadas nas cidades do sertão”, disse o delegado.
 

O delegado ressaltou, ainda, que os índices positivos de redução de homicídios estão intimamente ligados a uma política de tolerância zero com a criminalidade. “Combatemos com rigor todos os tipos de crime, desde uma simples alteração no cano de descarga de uma motocicleta até os crimes mais graves como roubo, furto e homicídios”, explicou o delegado.



Prevenção


Como forma de prevenção, o Cisp de Monte Alegre mais que dobrou o número de Termos de Ocorrência Circunstanciado (TOC). Em 2011 foram 21 e no ano passado 58. “A ligação entre número de homicídios e confecção de TOC existe na ação ostensiva anterior a ação policial que é finalizada na confecção de um termo. Ou seja, em cada um desses procedimentos finalizados houve várias ações e rondas que evitaram dezenas de crimes”, destacou.

Cisp de Monte Alegre

No ano de 2013, o foco da polícia foi o cumprimento de mandados de prisão e a desarticulação de quadrilhas que iniciavam suas atividades ilícitas no município. “Assim, após as atividades corriqueiras efetuadas no ano anterior, o ano seguinte foi apenas a continuidade dos trabalhos que resultaram no marco de mais de um ano sem homicídios”, enfatizou.



Foto: PepacOutro fator apontado pelo delegado e que contribuiu decisivamente para a redução de crimes contra a vida foi a presença ostensiva do Pelotão Especial de Policiamento em Área de Caatinga (Pepac) da Polícia Militar no sertão de Sergipe. De acordo com o tenente Manoel Alves de Oliveira, os policiais da unidade realizam blitz e abordagens em locais ermos e públicos e enfrentam com rigor o tráfico de drogas e o roubo de gado no sertão.



A área de atuação do Pepac compreende o alto e médio sertão sergipano, composto por 14 municípios: Canindé do São Francisco, Poço Redondo, Monte Alegre, Porto da Folha, Nossa Senhora da Glória, Feira Nova, Carira, Gararu, Nossa Senhora de Lourdes, Itabi, Graccho Cardoso, Cumbe, Nossa Senhora das Dores e Aquidabã.



O delegado Jorge Eduardo finalizou destacando a forte parceria com a Polícia Militar para alcançar a meta de mais um ano com baixo índices de homicídios.


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!